A gama de comodidades oferecidas aos seus colaboradores são hoje o grande trunfo das organizações para manter-se competitivas no mercado e atrair os melhores talentos. Isso mesmo!

Oferecer algumas vantagens além do salário pode significar um aumento da produtividade da empresa — uma vez que trabalhadores mais satisfeitos são também mais produtivos — e ainda evitar o turnover empresarial e todas as consequências negativas que ele pode trazer para a companhia.

Mas é preciso ficar atento para não incorrer no uso indevido dos benefícios empresariais — e é sobre isso que vamos falar no post de hoje! Foi-se o tempo em que as máquinas eram as grandes responsáveis pelo sucesso de uma empresa. Com o aumento da utilização da tecnologia, o grande diferencial das organizações ficou a cargo da sua mão de obra.

Isso tem incitado o RH a desenvolver estratégias cada vez mais eficazes para formar equipes de alta performance, o que inclui a atração, o desenvolvimento, a retenção e a satisfação dos talentos.

A concessão de benefícios empresariais figura como uma das mais modernas técnicas de recursos humanos para fomentar o desenvolvimento das empresas. E a sua gama é vasta. São oferecidas viagens corporativas, auxílio alimentação, plano de saúde empresarial, planos odontológico, vale-combustível, cursos variados etc.

Contudo, se não houver uma fiscalização e gerenciamento efetivos do que é disponibilizado aos colaboradores, pode haver um abuso de direito por parte deles, ou o mau uso de recursos por parte da companhia.

Mas como lidar com a situação? Como evitar o uso indevido dos benefícios empresariais? Separamos algumas dicas para você aprimorar a sua gestão de RH e evitar esse problema. Confira!

Crie uma política de benefícios

O primeiro passo para fazer uma gestão de benefícios corporativos verdadeiramente eficaz e evitar que as comodidades sejam usadas indevidamente é criar uma política de benefícios.

Conceder quaisquer vantagens ou fazer isso sem um planejamento quanto à forma de concessão e de aquisição pelo funcionário pode ser um grande erro.

É preciso estruturar a ideia, projetar os resultados que se pretende obter com a política de benefícios e empreender ações eficazes para obtê-los. Antes de eleger quais benefícios serão ofertados, por exemplo, é ideal fazer uma análise do perfil dos seus colaboradores, verificar quais vantagens são mais desejadas por eles etc.

Assim, evita-se o gasto desnecessário de recursos empresariais e tem-se a segurança de maior satisfação dos trabalhadores.

Estabeleça regras claras de concessão e uso dos benefícios

Outro ponto importante para evitar o uso indevido dos benefícios empresariais é estabelecer regras claras sobre a forma de aquisição e fruição dessas comodidades.

Com a criação de uma política de benefícios, a empresa pode escolher se deseja ofertar os mesmos indistintamente a todos os seus colaboradores — e os benefícios farão parte do contrato de trabalho — ou se vai estabelecer o direito de uso conforme o alcance de algumas metas pelo funcionário.

O importante é definir com clareza a forma de aquisição e de uso dessas vantagens, para não surgir mal entendidos entre os funcionários.

Conscientize sua equipe

Outra boa forma de estimular o uso consciente dos benefícios empresariais é por meio do diálogo com os colaboradores. A educação empresarial, com o esclarecimento dos direitos e deveres da equipe é muito importante para gerar mais consciência e integração entre empresa e empregados.

Conte com uma administradora de benefícios

Para fazer uma gestão de benefícios mais assertiva e eficaz, outra boa dica é contar com a ajuda de uma administradora de benefícios. Terceirizar essa tarefa pode fazer com que seu departamento de pessoal ganhe mais tempo para se dedicar a áreas mais estratégicas da gestão de pessoas, como o desenvolvimento de equipes de alta performance.

Você também está querendo evitar que a empresa tenha problemas pelo uso indevido dos benefícios empresariais? Então entre em contato conosco! Teremos o maior prazer em lhe ajudar!