Você já parou para pensar na forma como trata o seu cliente interno? Não é incomum que as empresas contemporâneas, preocupadas com a sobrevivência no mercado, foquem apenas no que está externo e se esqueçam de que, atuando para que a operação possa de fato acontecer, estão as pessoas que formam a equipe.

É para corrigir desvios como esse — que, em maior ou menor grau, podem prejudicar os resultados do negócio — que o endomarketing reforça sua importância.

Neste post, você vai entender um pouco mais sobre o conceito e as aplicações da ferramenta na rotina corporativa. Além disso, também receberá dicas valiosas para criar um cronograma de ações em prol do público interno.

Preparado? Vamos em frente e boa leitura!

Endomarketing: O que é e como funciona?

Endomarketing é uma junção de dois termos: “endo”, que se refere ao que está no interior; e “marketing”, que descreve a ciência humana que se dedica a entender comportamentos e a incentivar posturas — seja de conhecimento ou de compra, por exemplo.

E se o marketing é comumente empregado nos relacionamentos com o mercado, o endomarketing desponta como a ferramenta aplicada ao público interno, ou seja, aos funcionários da empresa.

Na prática, o endomarketing pressupõe o planejamento, a execução e a mensuração de ações internas. De acordo com os objetivos ou necessidades da empresa ante a seus colaboradores, é possível traçar estratégias que estimulem na equipe os comportamentos desejados.

Como aplicar o endomarketing e valorizar o cliente interno?

Agora que você já conhece a principal função do endomarketing — e, assim, já está convencido de que vale a pena dar atenção ao tema —, é hora de partir à prática.

Primeiro, é importante conscientizar as lideranças de que os funcionários são tão imprescindíveis quanto os clientes. Essa certeza reforça a necessidade de zelar pelo público, posicionando-o como o foco de ações estratégicas.

Em seguida, qualquer planejamento de endomarketing deve possuir, antes de qualquer outra coisa, objetivos bem definidos. Se o turnover (desligamento de funcionários) é grande, por exemplo, vale estruturar uma campanha de retenção. Se o problema é a falta de comprometimento com prazos, uma boa alternativa pode ser criar um fluxo informativo e motivacional.

Uma coisa é certa: os horizontes do endomarketing são vastos e podem ser exaustivamente explorados. Mas lembre-se de ser cauteloso: assim como no marketing externo, que visa conquistar um possível cliente, as ações internas devem ser concebidas com a mesma seriedade e convicção.

Como criar um calendário de ações de endomarketing?

Por fim, embora não menos importante, vale comentar um pouco a respeito da formulação de um cronograma de ações de endomarketing. Assim, fica mais fácil organizar as estratégias e mobilizar os recursos necessários.

Veja algumas dicas para não errar na aplicação!

Invista em seus colaboradores

Uma equipe bem preparada é, sem dúvida, uma equipe mais produtiva. Por isso, não hesite em investir em treinamento e capacitação, reforçando ao time o quanto a empresa zela pelo desenvolvimento pessoal e profissional de cada um.

Promova momento de integração

O expediente toma grande parte das horas produtivas de nosso dia. Por isso, é importante que seus colaboradores estejam integrados e sintam-se à vontade no ambiente de trabalho.

Uma boa forma de valorizar os relacionamentos é pensar em atividades de integração — e, para isso, vale até um café da manhã coletivo!

Valorize bons exemplos

O sucesso de uma empresa é reflexo do êxito das pessoas que compõem. Essa realidade reitera a importância de recrutar, manter e reconhecer os bons exemplos, permitindo que todo o quadro se inspire. Não deixe de valorizar os que se destacam!

Viu só? O endomarketing é uma ferramenta poderosa para estimular, motivar e engajar seu cliente interno. O resultado, já em curto prazo, é uma equipe mais satisfeita, comprometida e produtiva.

O conteúdo despertou em você o interesse de continuar aprendendo? Aproveite para dar uma olhada nas dicas para ter uma equipe mais engajada. Sucesso!