O colaborador atual busca muito mais do que um emprego e um salário, procura reconhecimento, benefícios atrativos e uma ocupação que estimule seu desenvolvimento profissional, ou seja, mais do que uma simples recompensa financeira pelo seu trabalho.

É totalmente possível atender a esses anseios dos funcionários com a implantação de um sistema eficaz de remuneração estratégica capaz de mostrar o valor de cada um para a empresa.

Esse tipo de remuneração, além do salário (que deve ser compatível com o cargo da pessoa), também oferece um conjunto de outras possíveis formas de remuneração:

  • Por habilidades ou conhecimentos específicos (comprovados por certificações e/ou títulos conquistados).
  • Por competências, pela qual se gratifica o colaborador por aptidões que vão além das exigidas pelo cargo que possui e em que ele demonstra domínio.
  • Variável, que é o tipo mais comum de remuneração extra, que são bônus e comissões com base nos resultados (individuais ou em equipe).
  • Benefícios (que podem ser coletivos ou variar conforme metas alcançadas – também conhecidos como incentivos).
  • Participação nos lucros ou acionária, em que o funcionário adquire perfil de dono do negócio e, além de visar ao aumento dos lucros, tende a adotar métodos e comportamentos que contribuem para a redução de custos.

Agora que você já sabe o que é e como funciona a remuneração estratégica, confira cinco dicas para criar uma política eficaz para implantá-la:

1. Analise a política de remuneração atual

Antes de implantar qualquer nova forma de remuneração, é preciso realizar um diagnóstico do quadro atual da companhia, levando em consideração seus pontos fortes e fracos, perfil da gestão, perfil dos funcionários e o quanto e como a remuneração atual está atrelada à estratégia do negócio.

2. Defina com a diretoria a nova política

É preciso ter em mente qual é o propósito da companhia, aonde ela pretende chegar em certo período de tempo e como almeja chegar lá. Isso tornará menos complicado definir junto à diretoria as habilidades e competências que serão incentivadas e reconhecidas, se esse tipo de remuneração estratégica combina com o perfil da empresa e de seus colaboradores, por exemplo.

3. Desenhe um novo sistema de remuneração

Com o diagnóstico da situação atual e a definição das estratégias da alta gestão em mãos, elabore um novo sistema de remuneração que reflita a cultura e o perfil da empresa para alcançar a meta almejada para o futuro, levando em consideração os tipos de remuneração estratégica existentes mencionadas no início deste artigo.

Busque um fornecedor qualificado, que consiga entregar soluções completas e que faça a gestão dos benefícios já existentes, atrelando-os aos tipos de remuneração que serão implantados em um único sistema. Dê preferência às soluções personalizadas, com atendimento consultivo e que realizem todo o trabalho operacional nos prazos acordados.

4. Estabeleça um plano de implantação

É necessário traçar um plano para que o sistema seja implantado de forma eficaz e alcance os objetivos esperados. Esse plano deve incluir ações e prazos para preparação das lideranças, treinamentos, comunicação clara e transparente, métricas para mensuração dos resultados e constante evolução do sistema de remuneração estratégica para que não se torne algo corriqueiro, perdendo o seu viés de diferencial competitivo.

5. Incentive que todos deem o seu melhor

Com uma comunicação eficaz do que é esperado de cada um e quais são as possibilidades para que as metas sejam conquistadas e superadas, é possível incentivar o alcance dos vários tipos de remuneração estratégica, de modo que o profissional consiga um equilíbrio entre vida pessoal e profissional em um ambiente corporativo sadio, com remuneração altamente atrativa.

Gostou das dicas sobre remuneração estratégica? Compartilhe, nos comentários, a sua opinião.