RH estratégico

Redes sociais no recrutamento: como profissionais de RH podem usar?

27/02/2018

Na árdua missão de recrutar, os gestores de RH buscam formas inovadoras de captar os melhores profissionais para as posições em aberto. Neste contexto, o uso das redes sociais no recrutamento vem crescendo a cada dia, demonstrando resultados positivos e bastante satisfatórios.

Criamos este post para esclarecer dúvidas sobre a utilização de redes sociais no processo de seleção de candidatos. Você entenderá um pouco mais sobre a questão ética envolvida no tema e como é possível otimizar o recrutamento.

Preparado? Boa leitura!

As redes sociais no recrutamento: ética e comportamento

A ascensão e o fortalecimento das redes sociais é um fenômeno grandioso. Só no Brasil, mais de 100 milhões de pessoas estão conectadas às redes sociais — número que nos torna o país que mais faz uso delas em toda a América Latina.

Acompanhando a evolução das interações digitais, os gestores de RH têm utilizado as redes sociais como ferramentas para auxiliar no recrutamento.

A prática, que nasceu nos Estados Unidos (onde ⅕ das organizações afirma empregar a tática), popularizou-se no restante do mundo. Para além dos benefícios de praticidade, porém, despontaram alguns questionamentos éticos.

Até que ponto é justo avaliar as publicações inseridas em espaços recreativos e de relacionamento pessoal? Até que ponto é pertinente avaliar um profissional com base nas atualizações em uma rede social, com foco em entretenimento?

A ética do recrutamento em redes sociais vem sendo bastante discutida e, com certeza, vale a reflexão. É preciso que os gestores de RH, principalmente os que estão focados em seleção, estabeleçam parâmetros seguros e equitativos, tomando cuidados para garantir a assertividade do processo e evitar a desqualificação imediata do indivíduo.

A seleção on-line de candidatos: otimização das buscas

A checagem da atividade social do candidato nas redes de relacionamento pode ser proveitosa, desde que feita corretamente pelo gestor.

Veja, agora, algumas dicas sobre como extrair informações relevantes para a seleção nas redes sociais mais populares do Brasil:

Facebook

A rede social mais famosa do mundo é um grandioso espaço para evidenciar traços de personalidade, indícios comportamentais e alguns dos principais hobbies do indivíduo.

Os recrutadores podem se valer do Facebook para complementar perfis profissionais, buscando informações específicas sobre a postura do candidato.

Twitter

Com a missão de ser sucinta e prática, essa rede social une informações pessoais e profissionais. Permite que o usuário compartilhe opiniões e atividades, por exemplo.

Neste âmbito, o gestor de RH pode avaliar a qualidade do conteúdo gerado e alguns traços comportamentais do indivíduo, reforçando e/ou alterando sua percepção sobre o profissional.

LinkedIn

Por último, mas não menos importante, o LinkedIn surgiu para suprir a demanda por uma rede social essencialmente profissional. É, sem dúvida, o lugar ideal para que os recrutadores selecionem possíveis candidatos e avaliem as qualificações que prospectam.

Além do currículo, a ferramenta também permite que sejam analisadas recomendações de terceiros a respeito das habilidades e das competências do indivíduo, endossando ou dissociando sua aderência ao perfil da vaga.

O uso das redes sociais no recrutamento é uma realidade e pode ser aproveitada de forma justa e confiável. Certifique-se de coletar informações relevantes, mas evite desqualificações sumárias baseadas em dados de relacionamentos digitais.

O conteúdo chamou sua atenção e será útil no seu cotidiano profissional? Aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais!

 

Você também pode gostar

Share This
Navegação