Desenvolvimento de pessoal

Quarta revolução industrial: quais são as competências profissionais exigidas?

16/10/2018

A quarta revolução industrial é uma realidade — e exige que empresas e líderes estejam preparados para desbravar os novos desafios do mercado. Enganam-se os que pensam se tratar de uma quebra sutil de paradigmas: o momento é de grandes transformações e representa uma significativa guinada nas condições operacionais e gerenciais.

Se você deseja se aprofundar no tema, entendendo um pouco mais sobre as definições e impactos dessa nova realidade, não deixe de ler o conteúdo até o fim! Neste post, você conhecerá um pouco mais sobre o conceito e as características da quarta revolução industrial.

Além disso, também terá acesso às principais competências exigidas no cenário contemporâneo — assegurando a qualidade do desempenho profissional. Preparado? Vamos em frente e boa leitura!

O que é e quais são as principais características da quarta revolução industrial?

Ao longo da história, registramos períodos de evolução marcados por atributos bastante específicos, como paradigmas estruturados para a operação industrial e para a gestão da época. Foi assim com a primeira, com a segunda e com a terceira revolução industrial — que, por sua vez, encerrou seu ciclo recentemente.

Com a ascensão dos recursos tecnológicos — resultado da convergência de ferramentas digitais, físicas e até mesmo biológicas —, as rotinas industriais foram diretamente impactadas por melhorias expressivas em processos favorecidos pelo big data, pela inteligência artificial e pela biotecnologia, para citar apenas alguns fatores.

Nesse contexto, é inegável que o horizonte das empresas, principalmente no que compete à inovação de processos e produtos, fica consideravelmente mais largo. É o momento, portanto, de investir em estratégias que possam viabilizar o aproveitamento das tecnologias para que o conhecimento se transforme, de fato, em vantagem competitiva para o negócio.

E lembre-se: com mais oportunidades, é inevitável que haja também mais concorrência, uma vez que as demais empresas também podem enxergar lacunas para promover o crescimento. Certifique-se de agir rápido para sair na frente!

Quais são as principais competências profissionais exigidas na quarta revolução industrial?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre o contexto (e as oportunidades) da quarta revolução industrial, é hora de colocar a mão na massa.

Para aproveitar o momento e endossar o desenvolvimento da empresa, é preciso investir na capacitação da equipe e no desenvolvimento das competências e habilidades que o novo cenário demanda. Conheça as principais!

Aprendizado constante

As perspectivas do mercado, ainda que voláteis, convergem para um atributo constante: a transformação. Para acompanhar as mudanças do cenário, portanto, é imprescindível que os profissionais sejam proativos e busquem aprendizado contínuo, reciclando conceitos obsoletos e conquistando novos conhecimentos.

E mais: na era da tecnologia, não existem empecilhos como distância e conflitos de horário. Com o e-learning (educação online, a distância), por exemplo, o indivíduo tem autonomia para aprender a qualquer hora e de qualquer lugar.

Flexibilidade e agilidade

Mais do que reconhecer que tudo pode mudar, é preciso que o profissional esteja realmente aberto à transformação e seja flexível para entendê-la, adequar-se a ela e, sempre que possível, antecipar-se às próximas.

Nesse sentido, a agilidade também desponta como uma habilidade importante, uma vez que o timing do mercado é rígido e demanda rapidez de assimilação.

Uma boa forma de motivar a equipe nesses comportamentos é promover treinamentos e missões coletivas, desafiando posturas e alavancando desempenhos.

Multidisciplinaridade e colaboração

Por fim, embora não menos importante, é válido destacar a competência multidisciplinar, que sugere a aplicação de conhecimentos em diversas áreas de uma só vez, e a capacidade de colaboração entre indivíduos e equipes.

Somadas, as habilidades compõem uma combinação altamente exitosa: permitem que uma equipe reúna experiências diversas e complementares, priorizando o trabalho coletivo (e, geralmente, mais robusto e eficaz) em detrimento dos resultados individuais.

Dessa forma, não seria exagerado dizer que a quarta revolução industrial afetou, também, o ambiente de trabalho e as competências profissionais exigidas. Para manter a empresa competitiva, angariando resultados cada vez mais positivos, é preciso investir na equipe.

O conteúdo foi útil e te motivou a buscar o desenvolvimento profissional? Ótimo! Aproveite para compartilhar o texto em suas redes sociais e propague a mensagem a outros gestores.

Você também pode gostar

Share This
Navegação