Ao gerenciar os recursos humanos de sua empresa, você provavelmente já deve ter passado por situações em que faltava motivação aos funcionários e aquele engajamento extra para melhorar a produtividade no ambiente organizacional.

Muitas vezes, a falta dessa motivação decorre justamente de existirem poucas oportunidades de reconhecimento profissional na empresa. Quais são esses incentivos em sua empresa? Por que eles são necessários para a motivação? Confira a resposta para essas e outras perguntas.

Saiba o que é o reconhecimento profissional

O reconhecimento profissional pode acontecer de várias formas: desde uma frase de incentivo quando o empregado faz um bom trabalho até a promoção e progressão de carreira no caso de funcionários com histórico comprovadamente importante e benéfico para a empresa.

Basicamente, é a forma pela qual o empregado recebe um retorno positivo sobre suas ações dentro da empresa e sabe que está no caminho profissional correto.

Entenda por que o reconhecimento profissional é tão importante

Essas formas de incentivo são importantes, tanto para o funcionário quanto para a empresa. Para o profissional, o reconhecimento é uma forma de motivá-lo a desempenhar um trabalho cada vez melhor, de qualidade e produtivo.

Além disso, demonstra que suas tarefas serão recompensadas, não importando a forma como ela se concretize (benefícios, bônus, prêmio, promoção etc.).

Para a empresa, essa é uma das maneiras mais eficientes de reter recursos humanos, evitar a rotatividade, aumentar a qualidade de vida no ambiente de trabalho, elevar os níveis de produtividade e, consequentemente, estabelecer as bases para uma empresa bem-sucedida.

Escolha programas de reconhecimento e incentivo

Existem várias formas de colocar isso em prática. Confira algumas sugestões:

1. Faça pesquisas de percepção e feedback de funcionários

Esse é o primeiro passo: saber quais são as demandas, expectativas e percepções de seus funcionários. Procure saber se eles estão satisfeitos no ambiente de trabalho, levante questionamentos e dê a eles a oportunidade de expressar frustrações.

Faça muitas perguntas — e não somente a seus subordinados diretos, mas para quantos colaboradores puder. Uma pergunta boa de se fazer é: “O que você faria se fosse o gestor do seu setor?”

Pode ser que as respostas sejam boas sugestões. Então, é preciso considerar e, se possível, implantar cada uma delas para demonstrar que esses diálogos não são em vão. Mesmo que você não obtenha uma grande ideia, essas conversas ainda podem ter um grande impacto, desde que sua equipe perceba que você considerou as sugestões dela.

2. Compreenda as demandas e as necessidades de seus empregados

O segundo passo é entender essas demandas e verificar quais delas podem ser atendidas em curto, médio ou longo prazo. Muitas questões apresentadas podem partir de motivações pessoais, que não estão necessariamente condicionadas a uma atitude da organização. Verifique o que está ao alcance da empresa a partir desse conjunto de demandas levantadas.

Mais uma vez, deixe os funcionários opinarem sobre quais procedimentos precisam de melhoria e, se for o caso, incentive-os a descobrirem alternativas que otimizem a realização desses processos em questão de custos e tempo.

3. Comemore os primeiros acertos

Não comemore somente os grandes acertos, mas também os primeiros. Reconhecer publicamente é gratificante e mantém todos os profissionais motivados. Não seja um líder negativo que joga “água fria” quando um colaborador atinge um resultado pequeno.

Torne este momento o mais divertido possível. Dê algum brinde que seja útil para o colaborador e deixe uma mensagem motivacional personalizada a mão. Sabe o porquê disso? Pois as pessoas são mais propensas a mostrar e dizer aos seus colegas, amigos e familiares que foram valorizadas no trabalho.

Um presente customizado tem muito mais valor do que algo produzido em massa, principalmente para funcionários mais velhos que são mais sentimentais e precisam de motivação.

É importante incluir esta tarefa na sua agenda e delegar a mesma aos gestores de outros setores da empresa. Dessa forma, o reconhecimento fica a cargo dos seus respectivos líderes. Reúna-se com eles para definir as melhores formas de tocar na alma dos seus colaboradores.

4. Crie planos de carreira e progressão objetiva

Essa é uma das maneiras mais tradicionais de oferecer incentivos e garantir a motivação de seus funcionários. Os planos de carreira oferecem um futuro profissional a partir do reconhecimento de critérios como avaliações frequentes, níveis de produtividade, de vendas, entre outros.

Investir em conhecimento sempre funciona bem como uma condição de troca com os colaboradores — especialmente os mais jovens. Porém, se o caixa da empresa não estiver tão seguro para oferecer cursos em pós ou MBAs, por exemplo, oferecer a oportunidade de vivenciar como outros setores funcionam é uma alternativa muito positiva.

Sem contar que isso também pode ser um motivo a mais para que os profissionais (talentosos) permaneçam na empresa por mais tempo.

Existem empresas que administram essa tarefa com eficiência, são verdadeiras escolas. O colaborador passa a entender praticamente todos os processos, o que é excelente para a carreira profissional. Isso se chama job rotation (rotatividade de tarefas), que funciona como se fosse um intercâmbio no qual dois profissionais trocam de setor por um período determinado. É uma prática bastante eficiente e desafiadora.

5. Proponha bons benefícios

Que tal deixar os colaboradores escolherem entre os benefícios que a empresa oferece? Assim, eles podem optar por aqueles que mais são úteis a eles — como descontos em academias, viagens, eletrodomésticos, plano odontológico, um valor em dinheiro ou outros prêmios.

Ou melhor: eles podem ter seus próprios pacotes de incentivos. Isso certamente será um gesto bastante valorizado pelas equipes, uma vez que se sentirão livres para escolher o que for mais importante para eles.

6. Crie metas possíveis de serem atingidas

As metas são umas das grandes motivadoras de produtividade e precisam ser sempre realistas, caso contrário, elas causarão uma espécie de frustração em cadeia que pode comprometer o clima organizacional. Portanto, escolha-as levando em conta o desempenho e a eficiência da sua equipe.

7. Ofereça comodidade

Oferecer conforto e segurança para os colaboradores é uma excelente alternativa para empresas que querem incentivar as equipes sem pôr a mão no bolso. Se uma determinada tarefa demandar mais da equipe, por exemplo, você pode sugerir um banco de horas informal, no qual eles poderão sair mais cedo por alguns dias ou emendar um feriado, por exemplo.

Nesse processo também entra a flexibilidade de horário e de prazos. No entanto, isso tudo deve ser bem explicado aos profissionais no momento da contratação para que não haja nenhum descontentamento.

Curtiu nosso artigo? Então aproveite para conferir o e-book GUIA DA VALORIZAÇÃO DO RH e descubra como fazer a diferença na sua empresa.

Baixe já o nosso material gratuito!