Uma das formas de melhorar a motivação dos colaboradores assim como a produtividade é por meio da aplicação de uma pesquisa de satisfação interna.

Mas é preciso seguir um devido planejamento para evitar que problemas possam surgir no caminho. Quanto mais transparência houver no processo, maiores serão as chances de sucesso.

Afinal, é preciso deixar todos os pontos claros aos funcionários, principalmente sobre a importância da opinião deles, que deve ser sinônimo de futuras melhorias no dia a dia. Caso contrário, o efeito pode ser inverso, causando mal estar e muitas críticas.

Entretanto, muitas empresas ainda não aplicam este tipo de teste pelo simples motivo de desconhecer a real função. Neste post, explicaremos alguns pontos do assunto, começando pelo seu significado. Confira:

O que é a pesquisa de satisfação interna?

A pesquisa de satisfação interna é uma maneira de saber profundamente e com dados baseados na realidade dos colaboradores como eles se sentem durante a rotina.

Por meio dos resultados, é possível analisar muito além do clima organizacional, passando também pela avaliação dos funcionários em relação aos equipamentos disponíveis, instalações, benefícios oferecidos pela empresa, carga horária e até mesmo sobre fatores psicológicos, como pressões exaustivas ou possíveis assédios por parte da chefia.

Os dados colhidos através desta pesquisa demonstram muitas sinalizações de melhorias que podem ser aplicadas no ambiente corporativo, sendo um fator de valorização dos colaboradores, podendo, inclusive, contribuir para a retenção de muitos talentos — quando os resultados são colocados em prática de acordo com as avaliações fornecidas.

Entretanto, há momentos certos para aplicá-la, como mostraremos a seguir.

Qual o momento certo para aplicar a pesquisa?

Apesar de ser muito eficaz na busca pela excelência, a pesquisa de satisfação interna deve ser aplicada quando alguns sinais começam a ficar evidentes, principalmente ao revelarem possíveis insatisfações por parte dos colaboradores.

Entre eles, podemos citar o aumento nas faltas e atrasos, crescimento nos pedidos de demissão, assim como os de afastamento por licenças médicas, além de erros constantes nos processos produtivos e reclamações por parte dos clientes.

Fora isso, existem outras evidências de que o clima não anda bem, como o chamado ar pesado ou até mesmo frequentes discussões entre os funcionários.

O ideal é não deixar que todos estes fatores estejam acontecendo de maneira simultânea. Assim que este tipo de situação começar a ficar evidente é porque chegou a hora de repensar a política interna.

De uma maneira geral, aplicar uma pesquisa de satisfação interna uma vez por ano pode ser um meio de prevenir muitos problemas, além de melhorar a harmonia no ambiente de trabalho.

Como os resultados devem ser trabalhados?

Ao analisar as estatísticas obtidas por meio da pesquisa de satisfação interna, é preciso estabelecer prioridades baseadas na realidade econômica da empresa.

Se houver verba disponível para determinada melhoria solicitada pelos colaboradores, resultando em ganhos na produtividade, vale a pena o investimento.

Nos testes também surgem muitas boas ideias que podem ser aplicadas sem altos custos, sendo muito úteis na valorização dos funcionários, que se sentirão ainda mais envolvidos com o trabalho ao verem uma sugestão levada adiante.

Ou seja, deixando bem claro os motivos da aplicação de uma pesquisa deste tipo e fazendo os resultados aparecerem, certamente o clima melhorará substancialmente dentro da sua corporação.

Agora que você ficou por dentro da importância da aplicação de uma pesquisa de satisfação interna, que tal ler um artigo sobre como administrar conflitos organizacionais sem desespero?