Diante da crise econômica que atinge o Brasil, as empresas precisam manter decisões certeiras em todos os setores, principalmente evitando gastos extras, como em contratações que acabam não correspondendo com as expectativas da chefia.

Realizar uma contratação assertiva passa muito além do que uma criteriosa análise de currículo e deve ser feita com muita cautela por sua empresa.

Para auxiliar o setor de RH (Recursos Humanos) a não errar neste momento tão delicado, selecionamos 3 dicas que certamente farão a diferença na escolha de um novo colaborador.

Afinal, erros podem gerar gastos de até 15 vezes o valor de um salário, com indenizações, direitos trabalhistas, improdutividade, entre outros pontos. Quer evitar este transtorno? Então, continue lendo o nosso post!

1. Faça uma análise dos currículos

O processo seletivo começa com a análise dos currículos, onde muitos candidatos já podem ser selecionados previamente.

Veja se as formações técnicas e experiências profissionais condizem com a vaga aberta, além de observar pontos relevantes, como intercâmbios, trabalhos voluntários ou alguma premiação em razão de determinado projeto elaborado pelo candidato.

Muitas empresas têm em seus sites uma lista de perguntas que auxiliam na seleção, como pretensão salarial, principais objetivos e outros pontos que já fazem uma filtragem prévia dos concorrentes. Inclusive, este é um ponto que veremos a seguir:

2. Filtre os candidatos

Por meio de dinâmicas em grupo, testes que explorem os comportamentos dos candidatos e também de raciocínio lógico, será possível observar pontos que vão além dos conhecimentos técnicos.

Afinal, para determinadas funções, o relacionamento interpessoal se faz muito necessário e é preciso conhecer algumas características pessoais dos candidatos antes de selecionar os melhores para a entrevista final.

Nesse momento, o auxílio de psicólogos e até mesmo de um hunting pode ser muito útil no fechamento de uma contratação assertiva.

3. Conduza bem a entrevista

No momento de ficar frente a frente com os candidatos, é hora de observar como eles se comportam ao sofrer determinada pressão.

Para isso, faça uma provocação ou perguntas mais incisivas, sempre analisando o comportamento do concorrente. Veja se a pessoa muda facilmente o tom de voz ou se altera os gestos corporais. No entanto, evite determinados questionamentos, que podem ser totalmente constrangedores.

Analise se o candidato tem firmeza e clareza nas respostas e também suas principais expectativas em relação ao cargo disponível. Inclusive, a entrevista é muito útil para deixar todos os pontos da vaga bem transparentes, confirmando com o concorrente o que está sendo apresentado.

Um exemplo é falar que o vale refeição é de uma “quantia x” e perguntar ao candidato: você concorda com isso? Trata-se de uma maneira de demonstrar o entendimento entre as partes.

Deixando tudo bem claro, será possível evitar que a pessoa desista da vaga com pouco tempo de permanência na empresa, evitando, assim, gastos extras.

Outra dica é preparar com antecedência os testes e até mesmo alguma avaliação que poderá ser aplicada para desvendar os conhecimentos e perfis dos candidatos.

Contratação assertiva

Seguindo essas dicas, as chances da sua empresa fazer uma contratação assertiva aumentarão consideravelmente.

Afinal, é importante reduzir os custos neste momento delicado da economia, principalmente para manter a produtividade, sem falar em um ambiente mais harmonioso dentro da sua corporação!

Depois de ler este artigo, que tal ficar ainda mais informado com nossos conteúdos? Leia outro post interessante, conhecendo o papel do RH na entrevista de emprego!