Os modelos de gestão no RH podem ser divididos em dois grandes formatos: centralizado e descentralizado.

No primeiro caso, decisões, tarefas, processos e controles ficam concentrados nas mãos de alguns profissionais da área dentro da empresa.

Já no segundo caso, apenas as tarefas essenciais e estratégicas são concentradas no departamento, as demais são delegadas para áreas ou parceiros com maior expertise na execução.

Ambos têm vantagens e desvantagens. Cabe a cada companhia definir qual se aplica melhor ao seu negócio e decidir se deve ou não permanecer com o modelo adotado.

Modelo de gestão centralizado

Esse é um modelo que dá ao gestor de RH um controle maior sobre todas as demandas do departamento. Alguns de seus aspectos são:

  • proximidade no controle das atividades;

  • padronização de processos;

  • uniformidade da comunicação;

  • menos desperdício ou duplicação de tarefas.

A principal característica de uma gestão centralizadora é a concentração de todas as ações e tomadas de decisão. Assim, se por um lado ter maior controle pode evitar desperdícios, por outro tende a deixar tudo mais burocrático e lento.

As tomadas de decisão devem ser sempre ágeis, principalmente quando se pensa em um RH com atuação estratégica nos negócios.

Assim, o que deve ser considerado nesse modelo é o quanto ele pode sobrecarregar desnecessariamente o pessoal da área, tomando tempo e energia que poderiam estar sendo aplicados em inovação e em resultados efetivos e mensuráveis.

Modelo de gestão descentralizado

Nesse modelo, é delegada autonomia para que outras áreas e parceiros executem tarefas com mais agilidade e expertise. Alguns de seus aspectos são:

  • mais autonomia para subordinados;

  • agilidade e assertividade na tomada de decisão;

  • menor dependência do gestor;

  • otimização das competências;

  • maior precisão na execução;

  • redução de erros e retrabalho.

A grande vantagem desse modelo é que ao delegar tarefas e decisões de processos rotineiros e não estratégicos, cria-se um ambiente mais propício à inovação e a uma gestão mais focada no planejamento e em resultados.

Isso significa melhores condições para ter uma visão do negócio e entender melhor como o RH pode atuar dentro dela com ações assertivas.

Tendências nos modelos de gestão no RH

A gestão descentralizada de RH vem se mostrando uma tendência há alguns anos, tanto no Brasil como no mundo. Cada vez mais se consolida a noção de que a área de Recursos Humanos pode contribuir decisivamente para os resultados da empresa. Isso significa atuar assertivamente na definição e execução de estratégias que impactem o negócio.

Para isso, no entanto, é necessário que o departamento não esteja sobrecarregado, realizando todas as etapas de tarefas administrativas que poderiam ser delegadas. Desse modo, uma gestão centralizadora, embora tenha algumas vantagens, pode limitar a atuação com foco estratégico.

Apesar da tendência, não existe uma resposta definitiva sobre qual o melhor modelo de gestão no RH. Cada empresa deve optar por aquele que melhor atender suas necessidades. Mas também deve estar atenta ao mercado e às inovações que estão surgindo, de forma a buscar sempre um RH mais eficiente.

Agora que você já conhece bem os modelos de gestão no RH, quer ficar por dentro das melhores práticas do mercado, com dicas e novidades sobre a área? Então curta a nossa página no Facebook!