Em tempos de crise e de desemprego, raramente o valor do salário bruto para vagas semelhantes em diferentes empresas chega a apresentar uma variação determinante para atrair um candidato logo de cara. Saber fazer uma gestão de benefícios estratégica pode ser um grande diferencial em nosso mercado de trabalho cada dia mais saturado.

Hoje, o que acontece é que, com a alta no preço da gasolina, por exemplo, benefícios como auxílio-combustível contribuem não só para garantir a vinda de bons profissionais, mas para retê-los na empresa. Pensando nisso, no post de hoje, você vai ficar por dentro de algumas das vantagens de fornecer benefícios diferenciados para seus colaboradores. Confira!

Aumento da produtividade da equipe

O profissional que se sente desvalorizado continua sendo o principal entrave para a produtividade da equipe como um todo — e, consequentemente, para os resultados que a empresa espera atingir. No entanto, ao alinhar os benefícios com as expectativas de crescimento desse profissional — por meio de inscrições gratuitas em cursos e seminários, por exemplo —, a empresa só tem a ganhar.

Isso acontece porque, além de especializar o colaborador, esse mesmo profissional irá passar a compartilhar o conhecimento adquirido com os demais colegas — e, como resultado de tudo isso, ele se sentirá valorizado por seus superiores.

Redução do turnover

Uma recente pesquisa realizada pelo LinkedIn levantou os seis principais motivos pelos quais o trabalhador pede demissão. São eles:

  • Pouco espaço para crescer;

  • Liderança ruim;

  • Péssima cultura de trabalho;

  • Falta de desafios;

  • Salário baixo;

  • Pouco reconhecimento.

Ora, uma gestão de benefícios eficiente é fundamental para evitar a taxa de rotatividade dos funcionários a partir do momento em que se antecipa a cada um desses seis pontos de insatisfação — atuando cirurgicamente para neutralizá-los.

Uma participação nos lucros da empresa, bônus, viagens de trabalho e prêmios por desempenho são apenas algumas das ações das quais os gestores de RH podem lançar mão para reduzir o turnover.

Aumento da integração entre empresa e colaborador

Uma empresa que se restringe ao básico no seu relacionamento com o quadro de funcionários — no caso, o pagamento do salário em dia — é uma empresa que corre sérios riscos de ampliar o grau de insatisfação interna. Ela passará a impressão, muitas vezes verdadeira, de que trata seus funcionários como números.

Portanto, ao promover alguns benefícios simples como café da manhã, almoço e lanche da tarde gratuitos, a empresa se humaniza — e, consequentemente, aumenta a integração com os colaboradores, suavizando os fluxos de trabalho.

Conforme a compatibilização de valores entre candidato e empresa vem se tornando uma realidade necessária no mundo corporativo, é preciso que o setor de Recursos Humanos proponha um pacote de benefícios que não só abranja os tradicionais cartão alimentação e vale-transporte – ambos determinantes para a escolha do candidato pela empresa – mas também aquele “algo a mais” que vá ao encontro da realidade do candidato.  

A gestão de benefícios deve ser proativa, ou seja, detectar os itens que os profissionais enxergam como vantagem em seu dia a dia — e não apenas o que o mercado estipula e padroniza. Uma startup cujo staff seja formado majoritariamente por jovens, por exemplo, pode concluir que descontos em hamburguerias locais gera uma percepção de valor muito maior do que um seguro de vida — o que não só resulta em economia para empresa, como também contribui para o clima de satisfação interno.

E então, entendeu a importância da gestão de benefícios para sua empresa? Tem outras dúvidas sobre o assunto, ou gostaria de compartilhar alguma experiência? Conheça nossa página no Facebook para dar a sua opinião sobre o artigo e ficar por dentro de outros conteúdos interessantes! 

Gostou do conteúdo? Que tal conferir mais dicas no nosso e-book: Guia da Valorização do RH?

Baixe já o nosso material gratuito!