Empowerment vem do inglês e significa: empoderamento. No universo empresarial, essa palavra é muito utilizada para designar a “descentralização da liderança” em alguns modelos de gestão, que são mais abertos e participativos.

A contemporaneidade tem características bastante particulares — e, por isso, habilidades cada vez mais específicas são exigidas nas mais diversas esferas da vida. Nesse contexto, o empowerment é uma postura que deve ser incentivada e fortalecida, visando corresponder às novas demandas.

Se você procura informações relevantes sobre o tema, encontrou o conteúdo certo! Neste post, você vai entender um pouco mais sobre o conceito e sobre a importância de estimular comportamentos autônomos como estratégia empresarial. Além disso, você também receberá dicas valiosas para estimular o empowerment na equipe.

Preparado? Boa leitura!

Qual é a importância da autonomia no mercado moderno?

O mundo mudou e é inegável que nas últimas décadas, principalmente em função dos avanços tecnológicos, a sociedade se transformou imensamente — e não foi diferente no ambiente empresarial.

Em um mercado altamente dinâmico e volátil, marcado pela competição acirrada, a autonomia é certamente uma das competências mais fundamentais à produtividade e aos resultados da organização.

É justamente por isso que a independência figura como uma competência importante — e que deve ser desenvolvida e fortalecida nas equipes de alta performance. Ao conferir mais autonomia aos colaboradores, permitindo que tomem decisões ágeis no cotidiano operacional, você certamente posiciona seu negócio para atender às exigências mercadológicas.

E lembre-se: no mercado, assim como prega a lei da natureza, apenas os mais adaptados sobrevivem (e evoluem). Não fique para trás!

Como o conceito de empowerment se aplica ao contexto empresarial?

Agora que você já entendeu um pouco mais sobre a importância da autonomia, é hora de pontuar de que forma o conceito de empowerment se molda, também, aos interesses comerciais e mercadológicos — e deve ser estimulado em seu negócio.

Ao permitir que os funcionários tomem suas próprias decisões, sempre alinhados ao propósito da organização, os gestores demonstram confiança e obtém um valioso retorno: empenho e foco, além de resultados concretos.

Como estimular a autonomia na sua equipe?

Diante disso, é natural que surja o questionamento: de que forma, então, é possível estimular uma postura verdadeiramente autônoma em seu quadro de colaboradores? Fique atento a algumas dicas valiosas para tornar esse cenário real no seu negócio.

Mantenha uma comunicação aberta e transparente

O nível de engajamento da equipe diz muito a respeito do fluxo de comunicação de uma empresa. Se há sinergia, provavelmente existe liberdade de interação.

Para alavancar a performance do seu time, conferindo mais autonomia às decisões operacionais, certifique-se de estabelecer e alimentar uma comunicação ampla e cristalina.

Assim, sua equipe terá mais facilidade para trocar informações e, da mesma forma, será mais ágil no momento de tecer considerações sobre processos e/ou problemas.

Esclareça as metas individuais e coletivas

Nenhum negócio pode prosperar se não souber, com exatidão, aonde almeja chegar. Por isso, jamais negligencie a divulgação das metas individuais (o que se espera de cada colaborador) e coletivas (o que a equipe, como um todo, deve entregar)!

Ao elucidar as ambições do negócio, você insere o time na “batalha” para conquistá-las — e, por outro lado, também sabe exatamente o que cobrar — e confere autonomia para que cada um persiga a parte que lhe cabe na consecução das metas.

Incentive (e reconheça) a inovação

Por fim, embora não menos importante, é válido que você incentive fortemente a busca por soluções inovadoras, mais eficazes e alinhadas às expectativas da empresa e de seus mercados.

Nesse aspecto, o empowerment atua como uma poderosa força motriz: ao proporcionar independência de pensamento e ação, o gestor amplia os pontos de vista e pode extrair o melhor de cada ideia.

O conteúdo despertou seu interesse e você deseja se aprofundar um pouco mais? Aproveite para baixar nosso guia completo para a gestão PME!