A competitividade entre as empresas é cada vez maior, e ela não se restringe apenas aos mercados consumidores. Cada vez mais as organizações vêm disputando um outro tipo de público-alvo: os colaboradores. A busca pelos melhores talentos motiva os empregadores a apostar em estratégias diferenciadas para a conquista e fidelização de funcionários.

Uma dessas apostas, e talvez a mais recorrente, é a política de concessão de benefícios empresariais. Além de ser um importante mecanismo de atração e retenção de mão de obra, as vantagens concedidas pela empresa também exercem relevante papel de motivação de equipe.

Entre os benefícios mais ofertados pela empresa e desejados pelo trabalhador estão a cesta básica e o vale-alimentação. Mas, embora ambos se destinem a incrementar a remuneração do trabalhador e melhorar a qualidade da sua alimentação, eles não são idênticos. Existem diferenças tanto do ponto de vista do trabalhador quanto da empresa.

No post de hoje, vamos falar sobre elas e ajudar você a decidir qual é a melhor opção para o seu negócio: cesta básica ou vale-alimentação. Confira!

Diferenças entre cesta básica e vale-alimentação

Existem algumas diferenças entre esses dois benefícios, mas a principal delas é o formato como a comodidade é entregue.

Enquanto a cesta básica é montada pelo próprio empregador, com base nos produtos considerados essenciais, o vale -alimentação consiste em um cartão, com um valor creditado pela empresa para o funcionário.

Na cesta básica, o trabalhador não tem a opção de escolha sobre o que vai consumir. Já o vale-alimentação, permite maior liberdade, tanto em relação à forma como a alimentação vai ser eleita quanto em que estabelecimento ela será adquirida, pois, geralmente, há uma rede de estabelecimentos credenciados.

Benefícios do vale-alimentação para as empresas

Já vimos que do ponto de vista do colaborador o vale-alimentação confere mais autonomia e liberdade na hora de escolher os gêneros alimentícios levados à mesa.

Mas essa espécie de benefício pode trazer muitas vantagens para a empresa também. Veja quais são elas!

Mais praticidade

Ao contrário da cesta básica, em que os itens devem ser comprados e entregues pela empresa no vale-alimentação, quem adquire os produtos é o próprio colaborador. A empresa apenas contrata uma administradora para o cartão — o resto é por conta do trabalhador.

Maior previsibilidade de gastos

Ao fornecer cesta básica a empresa não tem exatidão do quanto vai precisar gastar no mês. Já o vale-alimentação permite maior previsibilidade, pois consiste num valor fixo a ser concedido aos empregados.

Economia de recursos

O vale-alimentação também contribui para a economia de recursos da empresa, pois o seu valor não sofre os impactos da inflação dos gêneros alimentícios.

Redução da carga tributária

As empresas que asseguram vale-alimentação aos seus funcionários gozam de uma redução de até 4% na base de cálculo do imposto de renda, e, por isso, pagam menos tributo.

Retenção de talentos

Por fim, cabe mencionar, ainda, que o vale-alimentação representa uma forma de incrementar a remuneração do empregado, sem que isso represente aumento da carga tributária da empresa (pois sobre ele não incidem FGTS e contribuição patronal previdenciária).

Com isso, além de não onerar as finanças da empresa, ele incrementa a renda do trabalhador, funcionando como um mecanismo eficaz na retenção de talentos.

E então? Gostou de conhecer um pouco mais sobre as diferenças entre a Cesta básica e o vale-alimentação? Baixe também o nosso e-book Guia do Benefícios e fique ainda mais por dentro desse e de outros assuntos!