Benefícios Corporativos

Benefícios Alimentação e Refeição: Você sabe a diferença entre estes benefícios

31/03/2017

O vale refeição e o vale alimentação são alguns dos benefícios que podem ser oferecidos pelas empresas a seus funcionários. Embora muitas vezes sejam usados como sinônimos, inclusive por profissionais de RH, esses termos indicam benefícios diferentes que são usados de maneiras específicas pelo empregado.

Quer descobrir a diferença entre os benefícios alimentação e refeição? Confira aqui no nosso post!

O que são os benefícios alimentação e refeição?

O vale refeição consiste num benefício a ser utilizado em restaurantes e lanchonetes para que o trabalhador possa se alimentar durante o horário de trabalho, proporcionando o acesso a uma alimentação balanceada e satisfatória.

Já o vale alimentação tem como objetivo substituir as cestas básicas distribuídas pelas empresas, oferecendo ao empregado um benefício a ser utilizado em supermercados, padarias, açougues e outros estabelecimentos que vendem produtos em estado natural, ainda não prontos para o consumo.

Por serem apenas benefícios, ambos não são incorporados ao salário ou sofrem incidência de impostos e encargos, havendo, inclusive, um incentivo fiscal com dedução de até 4% no imposto de renda para empresas optantes pelo lucro real.

Quais as vantagens de um benefício sobre o outro?

Uma grande vantagem do vale alimentação é que ele pode ser utilizado para compras mais gerais, sendo, muitas vezes, importante para a alimentação de toda a família do empregado e fazendo parte do orçamento mensal.

Já o vale refeição permite que o trabalhador não gaste o próprio salário pagando por refeições realizadas durante a jornada de trabalho, o que pode gerar uma economia considerável ao final do mês, no caso de empregos com carga horária integral.

Por que esses benefícios são oferecidos?

Como qualquer outro benefício, o vale alimentação e o vale refeição são mais um atrativo para o funcionário, que optará não apenas pelo emprego que oferece o maior salário, mas o que oferece mais benefícios relacionados à saúde, habitação e a alimentação.

Com essa motivação extra e com os benefícios de uma boa alimentação garantida, o funcionário se dedica mais ao trabalho e gera mais produtividade para a empresa, que também ganha pontos em reputação.

Esses benefícios são obrigatórios pela CLT?

Trabalhadores em regime CLT têm muitos benefícios garantidos por lei, mas o vale refeição e a alimentação não são um deles. No entanto, isso não significa que o pagamento desses benefícios não seja obrigatório em alguns casos, já que muitos sindicatos conseguiram obter esse direito ao longo dos anos.

A empresa pode oferecer qualquer um desses benefícios?

Desde que os acordos sindicais permitam, a empresa tem autonomia para oferecer qualquer um desses benefícios, nenhum deles ou ambos.

Como esses benefícios chegam ao funcionário?

Tradicionalmente, esses benefícios eram fornecidos na forma de tickets de papel, mas, atualmente, já estão disponíveis em cartões magnéticos idênticos aos cartões de banco, o que deixou tudo bem mais prático.

A cada mês, a empresa disponibiliza automaticamente no cartão o saldo destinado ao vale refeição ou ao vale alimentação e o funcionário pode realizar compras nos estabelecimentos credenciados pela operadora do cartão. Normalmente, o saldo e o extrato do cartão, assim como a lista de rede credenciada, podem ser acessados online e permitem um maior controle dos gastos.

Como o valor do benefício é determinado?

De acordo com acordos sindicais, pesquisas de mercado, preço médio da cesta básica — que é influenciado pela sazonalidade e pela região do país — e o interesse da empresa em oferecer benefícios extras ao funcionário. Algumas empresas que fornecem cartões alimentação e refeição, como a VB, ajudam a empresa no cálculo do valor do benefício tendo em mente todos esses fatores.

Além disso, a CLT determina que o valor dos benefícios alimentação e refeição não ultrapasse 20% do salário do funcionário no parágrafo 3, do artigo 458.

Dicas para orientar o colaborador sobre os benefícios alimentação e refeição

1. Realizar as contas para acompanhar seus gastos

Do mesmo modo em qualquer categoria orçamentária, fazer o acompanhamento dos gastos com a alimentação no horário laboral é essencial para alcançar o controle exato das economias.

Dessa forma, incentive seus funcionários a fazer uma análise para ter uma ideia do quanto é possível gastar por dia, a fim de chegar no final do mês com as contas em dia.

Para ficar mais claro, imagine que eles recebam R$ 500 de vale-refeição e trabalham 20 dias no mês. Com um planejamento pronto, eles saberão que só podem gastar R$ 25 por dia para ter o benefício no mês inteiro.

Esse valor é uma média para conseguir ter equilíbrio das despesas. Ou seja, haverá dias que eles acabarão gastando menos e outros passarão dos limites. O importante é acompanhar este planejamento e buscar não ultrapassar o valor total antes do mês acabar.

2. Evitar os gastos fora do trabalho

Os seus funcionários podem utilizar este benefício para pagar um restaurante no final de semana, por exemplo, mas é preciso ficar atento para evitar que eles fiquem sem crédito para as refeições nos dias de trabalho. Assim, é preciso acompanhar as despesas e equilibrar as contas, gastando menos em outros dias.

3. Preferir restaurantes por quilo

Nos restaurantes por quilo, o trabalhador pode escolher exatamente o que comerá e, quase sempre, isso acaba custando menos. Se ele não come bastante, por exemplo, a vantagem será ainda maior.

Para quem gosta daquela “comidinha caseira”, optar por bons locais que ofereçam o chamado “prato feito” também pode auxiliar, pois essa é uma alternativa vantajosa e econômica.

4. Participar de programas de fidelidade

Vários restaurantes oferecem algum dia de refeição grátis para uma determinada consumação feita naquele local. Caso o funcionário fizer uso de dois estabelecimentos com esses programas de fidelidade, é possível garantir dois dias de alimentação por conta da casa, economizando, dessa forma, o seu benefício refeição.

5. Eleger um dia da semana e levar uma marmita

O zelo por uma alimentação muito mais saudável faz com que muitas pessoas carreguem para o trabalho o alimento que vai ingerir. Dessa forma, incentive seus funcionários a levar a marmita para a atividade laboral — isso nunca foi tão comum como nos dias de hoje.

Por conseguinte, se possível, indique ao trabalhador a escolher um dia na semana para levar a refeição de casa. Se ele iniciar com esse hábito, serão 4 refeições economizadas ao final de um mês.

Guiando sua equipe dessa forma, você pode auxiliar seus colaboradores a fazerem melhor uso dosbenefícios que o seu negócio oferece, sem ter que, no final, tirar do próprio bolso para arcar com essas despesas.

Entendeu tudo sobre os benefícios alimentação e refeição? Conheça o Benefícios, uma plataforma que tem tudo o que você precisa em um só lugar!

Você também pode gostar

  • felipe 20/04/2017 at 15:12

    Oi pessoal
    Esse site é mesmo surpreendente, queria dar os parabéns pelo trabalho de vocês.
    Sempre é bom obter novos conhecimentos, obrigado 😉

  • Share This
    Navegação