ambiente de trabalho saudável ambiente de trabalho saudável

Construa um ambiente de trabalho saudável seguindo estes 6 passos

7 minutos para ler

A construção de um ambiente de trabalho saudável deve ser uma das prioridades dos gestores de RH. Os motivos são muitos e incontestáveis: estudos recentes apontam que colaboradores felizes são até 12% mais produtivos, vendem até 27% mais e são até 3 vezes mais criativos.

Se você busca resultados semelhantes na sua empresa, precisa olhar com atenção para as rotinas da companhia. É hora de repensar processos, decisões e benefícios, formatando uma cultura que promova a satisfação enquanto incentiva a proatividade da equipe.

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o conceito e poderá avaliar sua realidade sob uma ótica mais acertada. Em seguida, terá acesso a dicas valiosas para criar um ambiente de trabalho saudável e produtivo, atendendo a expectativas diferentes, mas absolutamente complementares.

Preparado? Boa leitura e bons insights!

Você sabe tudo sobre a lei do vale-transporte? Faça o teste e descubra!

O que é, na prática, um ambiente de trabalho saudável?

É comum encontrar pessoas que passam mais tempo no trabalho do que em suas próprias casas. Essa realidade carrega consigo uma grande responsabilidade das empresas: é preciso preservar a saúde, a integridade e a satisfação do colaborador. A pergunta que fica é: como colocar isso em prática?

A criação de um ambiente de trabalho saudável é a resposta mais direta e eficiente. A OMS (Organização Mundial da Saúde), por exemplo, define o termo como “um lugar […] onde os trabalhadores e os superiores colaboram para a implantação de um processo de melhoria contínua para promover a saúde, a segurança e o bem-estar de todos os trabalhadores e a sustentabilidade do local de trabalho”.

Trata-se, portanto, de um esforço deliberado e contínuo para promover políticas e estratégias que priorizem o conforto — físico, relacionado à infraestrutura da empresa, e mental, no que diz respeito principalmente ao suporte emocional — da equipe, valorizando a qualidade das relações interpessoais sem descuidar das necessidades individuais.

O desafio, então, é melhorar o ambiente de trabalho de modo focado e sistemático, de olho nas necessidades do time e nas possibilidades da companhia.

Como construir um ambiente de trabalho saudável?

A essa altura, fica evidente que a construção de um ambiente saudável passa pela necessidade de criar uma cultura colaborativa: todos precisam participar e contribuir para que haja sinergia de necessidades e alinhamento de expectativas.

Não se assuste: um ambiente saudável e produtivo é possível e está ao alcance da sua empresa. Confira algumas das principais dicas para viabilizar a mudança e alavancar a satisfação (e a saúde) dos colaboradores!

1. Invista na comunicação interna

A boa comunicação é fundamental em um ambiente de trabalho saudável, e é fácil entender os motivos.

Pense, por exemplo, na necessidade de avisar aos funcionários que alguns ajustes na operação estão programados para o segundo semestre do ano. Um discurso vago, sem profundidade, pode suscitar interpretações equivocadas: é provável que muitos comecem a pensar (e a divulgar para os colegas) que haverá demissões em massa.

Da mesma forma, imagine que houve um conflito de ideias entre dois analistas de um mesmo setor. Sem a comunicação adequada, as desavenças podem impactar negativamente os processos da área e, assim, prejudicar o desempenho individual e coletivo.

Investir na comunicação interna é, sem dúvida, uma prioridade. Certifique-se de manter um canal transparente, em que o fluxo de informações seja ágil e claro, alicerçando um ambiente cada vez mais saudável.

2. Cuide das instalações

O espaço físico precisa se adaptar às necessidades da equipe. Para profissionais que passam a jornada à frente do computador, por exemplo, a ergonomia dos recursos deve ser avaliada regularmente. Cadeiras confortáveis e mesas na altura correta fazem toda a diferença no bem-estar e na produtividade da equipe.

Na fábrica, por sua vez, a segurança do trabalho deve vir em primeiro lugar. As máquinas precisam passar por manutenções preventivas e regulares e, para os operadores, é essencial disponibilizar os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) adequados.

Afinal, zelar pela integridade do espaço físico é zelar por um ambiente de trabalho saudável e seguro.

3. Estabeleça a cultura do feedback

Dar e receber feedback são rotinas que precisam ser valorizadas em qualquer empresa — independentemente do porte ou do segmento em que atuem. Cabe ao RH a missão de estimular a cultura da melhoria contínua e, assim, garantir que as devolutivas sejam tratadas com respeito, seriedade e disposição sincera em ajudar.

Quando os colaboradores se sentem à vontade para dividir suas opiniões sobre seus líderes ou sobre os processos nos quais estão envolvidos, por exemplo, a empresa tem a oportunidade de aparar arestas e de fortalecer o que está funcionando. O clima organizacional fica mais leve, e as rotinas cada vez mais produtivas.

A troca de experiências e a abertura franca à discussão de ideias assegura que o time esteja alinhado e se sinta confortável para participar das decisões corporativas.

4. Capacite as lideranças

Bons líderes fazem toda a diferença na construção de um ambiente de trabalho saudável. Sem eles, fica difícil manter bons resultados e reter os talentos da companhia.

Uma análise da American Psychological Association evidenciou que, em geral, até 27% dos funcionários pedem demissão porque não se dão bem com o chefe direto. Aqueles que ficam, mesmo enfrentando problemas com o líder, tendem a enfrentam uma rotina ainda mais estressante — o que está longe de ser, é claro, um ambiente de trabalho saudável.

Por isso, é importante treinar e acompanhar o desempenho dos gestores, requisitando o feedback de seus subordinados com frequência. Em muitos casos, alguns ajustes podem solucionar o problema por completo.

5. Capriche nos benefícios corporativos

Os benefícios corporativos são, aos olhos da equipe, um poderoso atrativo. Uma boa carteira de comodidades evidencia o zelo da empresa e tem impacto direto na percepção dos colaboradores sobre o ambiente de trabalho.

Se, por exemplo, existe a preocupação de fornecer benefícios alinhados às necessidades e aos anseios do funcionário — seja o vale-alimentação, seja um cartão presente —, certamente haverá índices mais altos de satisfação, validando um cenário mais saudável e seguro.

Assim, vale a pena olhar (e ouvir) as demandas internas com atenção, correspondendo, sempre que possível, às expectativas do time.

6. Incentive a diversidade

Ambientes inclusivos, nos quais impera a diversidade, costumam ser profícuos na troca de experiências. Pessoas com vivências diferentes têm a capacidade de se juntar e criar soluções inovadoras para determinados problemas ou situações.

Além disso, a diversidade corporativa contribui diretamente para construir um ambiente de trabalho saudável: de acordo com uma pesquisa encabeçada pela Korn Ferry, empresas que valorizam a diversidade registram, em média, 50% menos desentendimentos — se comparadas às demais estruturas corporativas.

Esse número, por si só, reforça as vantagens de manter uma operação inclusiva e, assim, permitir o desenvolvimento coletivo da organização.

Pronto! Com novas técnicas e estratégias à mão, você já pode traçar um planejamento consistente para criar um ambiente de trabalho saudável, diverso e produtivo. Os resultados podem ser rapidamente mensurados e também se mostram bastante perenes, influenciando a performance do negócio no médio e no longo prazo.

Aproveite, ainda, para mergulhar mais fundo na rotina empresarial, identificando, tratando e resolvendo um problema comum na grande parte das companhias modernas: a procrastinação. Sucesso e até breve!

Posts relacionados